outubro 25

Imóvel, aposta segura.


25 de outubro de 2012 às 13:43
Categoria: Financiamento , Mercado
Publicado por: admin

Fonte: Correio Braziliense

Comentários desativados em Imóvel, aposta segura.
outubro 23

A grande promessa do SIA


23 de outubro de 2012 às 18:20
Categoria: Gestão de Qualidade , Institucional , Mercado
Publicado por: admin

OAS Empreendimentos e a construtora Faenge apresentam o mais novo centro comercial do SIA, o Visionaire. O prédio comercial é o primeiro centro de convergência urbana do país e vem para ser a grande aposta da região.

A OAS Empreendimentos, em parceria com a Faenge, apresentaram na quarta-feira (17) o mais novo empreendimento do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), o Visionare – Urban Convergence Center. O novo prédio comercial é o primeiro centro de convergência urbana do país e vem para ser a grande promessa da região que, de acordo com os empresários envolvidos no projeto, necessita de um condomínio nesse segmento. A ideia de lançar o centro comercial na região veio devido ao resultado de uma pesquisa encomendada pelas empresas responsáveis pelo Visionaire.

O levantamento, realizado pela Urban Systems, especializada em análise de dados demográficos em mapas digitais, comprovou que o SIA vem apresentando um novo perfil e que atualmente é composto mojoritariamente por lojas e escritórios comerciais. O estudo foi fundamental para as empresas conhecerem a fundo o perfil dos frequentadores do setor de indústria e também prepararem um empreendimento que atenda perfeitamente aos empresários que planejam investir na região. O número de estabelecimentos comerciais no bairro aumentou 80% entre 2006 e 2010. A pesquisa mostrou, ainda, que o SIA conta com 2.500 estabelecimentos comerciais, além de outras cinco mil empresas. Do total de companhias em funcionamento na região, apenas 23 são fábricas. As lojas representam 69%; escritórios, 15%; depósitos, 4%, e oficinas 2,8%. E outros estados também estão de olho neste crescimento. Há 268 filiais de empresa no setor, 17% de São Paulo; 12% de Goiás e 6% de Minas Gerais.

Fernando Garrido, gerente de incorporações da OAS, afirmou que empreendimentos comerciais existem em diversas regiões do Distrito Federal, mas que o objetivo do Visionaire é inovar: “Queríamos um local diferente e que necessitasse de um centro comercial assim”. Ao perceberem que o local comporta grandes empresas, se deram conta da necessidade de um empreendimento como o Visionaire. “No SIA existem grandes empresários com potencial que precisam montar seus escritórios em um prédio mais moderno”, observa.

Na ocasião, Fernando Garrido e Leonardo Ávila apresentaram aos convidados a maquete do Visionaire- Urban Convergence

Foto: Mary Leal

Na ocasião, Fernando Garrido e Leonardo Ávila apresentaram aos convidados a maquete do Visionaire Urban Convergence
Arrojado, moderno e tecnológico.
A proposta vai além de atender à demanda do empresariado local, que hoje não encontra salas comerciais para comprar ou alugar na região.

O conceito de Centro de Convergência Urbana vem por se tratar de um empreendimento que reúne todas as soluções para quem precisa trabalhar, resolver pendências e desfrutar de momentos de lazer. Será composto de 386 salas comerciais, 52 salas garden, 32 salas corporate, um open mall com 32 lojas, uma praça gourmet com 14 bares e restaurantes. Além disso, oferecerá um dos itens mais importantes e requisitados por quem busca investir no setror imobiliário, estacionamento. Este será rotativo e abrigará até 865 carros. Ou seja, não só os condôminos terão vagas garantidas, os frequentadores do SIA também serão beneficiados.

O condomínio também contará com tecnologia de ponta. Será entregue com toda a estrutura necessária para o funcionamento de internet, fechaduras biométricas, com automação no projetor, na iluminação e no ar-condicionado.

 

Grandes nomes
Além da assinatura da OAS Empreendimentos, que já fez história ao lançar empreendimentos como WTC, em São Paulo, e um novo setor habitacional em Porto Alegre, e da qualidade dos projetos da Faenge, conhecidos em Brasília, o Visionaire tem paisagismo, decoração e arquitetura de grife.
Durante a apresentação do emprendimento, Leonardo Ávila agradeceu o trabalho realizado pela equipe de arquitetura e visagismo. “Todos trabalharam para que esse empreendimento fosse diferenciado”. O projeto arquitetônico é assinado pelos renomados Ivan Smarcevscki e Júlio Crosara. Já o projeto paisagístico, que reúne espelhos d´água e muito verde, tem a marca de Benedito Abbud. A arquiteta paulistana Fernanda Marques trouxe a contemporaneidade ao assinar as áreas comuns.
Com fachada imponente em pele de vidro e granito, o Visionaire levará ao SIA modernidade e requinte.

 

 por NATALIA RABELO
Fonte: Redação Jornal da Comunidade

Comentários desativados em A grande promessa do SIA
outubro 22

Empresários apostam no SIA como vetor de crescimento.


22 de outubro de 2012 às 9:08
Categoria: Institucional , Mercado
Publicado por: admin

Criado antes mesmo da inauguração de Brasília, o Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) surgiu, em 1963, como uma área  para o Armazenamento de materiais de construção das empresas que chegavam para erguer a nova capital. Instaladas de forma improvisada,  muitas cresceram e criaram raízes.

Dominada pelo segmento industrial, a região se desenvolveu e, em 2005, pelo Decreto nº 3618, foi constituída como a Região Administrativa XXIX, ganhando novos limites territoriais.

sia vista SIAVista aérea do Setor de Indústria e Abastecimento do Distrito Federal  (Foto: Agência Brasília)

A revitalização do bairro, a criação da Cidade do Automóvel e as melhorias nas vias de acesso também têm ajudado a mudar a maneira como o local é visto pelos brasilienses. Segundo a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), o SIA é responsável por 56% da arrecadação de ICMS do DF e abriga mais de 100 mil trabalhadores e 5 mil indústrias. Com  o crescimento de Brasília, o Setor começa a ser visto pelo mercado  imobiliário como um promissor vetor de crescimento na área de empreendimentos comerciais.

Grandes empresas apostam no local como um centro de convergência, projetando salas comerciais, lajes corporativas, lojas e, ainda, opções de lazer e gastronomia em um só lugar.

Todos os dias, aproximadamente 300 mil pessoas circulam pelo SIA, e a preocupação em oferecer serviços de excelência também inclui a necessidade de estacionamentos amplos e bem equipados. Além disso,  com a promessa de novos investimentos no local, empresários do setor imobiliário preveem, para muito  breve, a prestação de serviços antes inexistentes na região, tais como academias e centros de lazer.

A localização também é uma das vantagens do SIA – próximo às regiões  do Guará e Parksul e no caminho de  Águas Claras e Taguatinga. Pelo Setor
de Indústria e Abastecimento, é possível também ter acesso às principais vias da cidade, como Epia e EPTG.

Assim, a expectativa é que o polo,  antes dominado apenas pelas indústrias, seja referência de potencial de valorização, com vários segmentos e empreendimentos corporativos inovadores e de qualidade.

Um alongamento de Brasília num ponto privilegiado do Distrito Federal.

Adalberto Valadão
Presidente da Associação de Empresas do
Mercado Imobiliário do DF – ADEMI-DF

Comentários desativados em Empresários apostam no SIA como vetor de crescimento.
outubro 09

Unir salários do casal facilita financiamento.


9 de outubro de 2012 às 15:39
Categoria: Financiamento , Mercado
Publicado por: admin

Financiar imóveis para casais é a preferência da maioria das instituições financeiras. Para Cristiane Mascarenhas, diretora da Total, empresa que atua na formação de corretores imobiliários, essa predileção se deve ao fato de serem duas, e não apenas uma, pessoas comprometidas em cumprir o pagamento da dívida. Uma das vantagens de comprar imóvel em parceria com o companheiro é que ambos podem utilizar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e assim reduzir o valor a ser financiado ou até mesmo pagar o imóvel integralmente.

De acordo com Adelson Prata, gerente regional da Caixa, os recursos da conta vinculada do FGTS podem ser usados na aquisição de imóvel residencial urbano concluído para pagamento parcial ou total do valor do imóvel. “Também podem ser usados para amortizar ou liquidar o contrato habitacional e, ainda, no pagamento de parte das prestações mensais ao longo do contrato de financiamento”, ele disse.

Existem diversas modalidades de financiamento para casais. “Só que os mais comuns entre os parceiros, atualmente, são o programa Minha Casa, Minha Vida, para os imóveis novos que podem ter valor de até R$ 170 mil, e financiamentos bancários, que são utilizados para os imóveis com valores mais altos”, explica Cristiane.

Fonte: www.imbui.com.br

Comentários desativados em Unir salários do casal facilita financiamento.
outubro 01

SIA mostra sua força para se tornar o novo eixo de crescimento do Plano Piloto.


1 de outubro de 2012 às 17:24
Categoria: Gestão de Qualidade , Mercado
Publicado por: admin

Comentários desativados em SIA mostra sua força para se tornar o novo eixo de crescimento do Plano Piloto.
setembro 26

Crédito imobiliário poderá ser levado para outro banco.


26 de setembro de 2012 às 10:02
Categoria: Financiamento , Mercado
Publicado por: admin

A partir de agora, a chamada portabilidade do crédito imobiliário ficará mais fácil para o mutuário que desejar fazer um financiamento mais barato a partir da queda das taxas de juros. O Conselho Monetário Nacional (CMN), que regulamentará a lei sancionada pela presidenta Dilma Rousseff no mês passado, quer simplificar o processo de troca de dívida e diminuir o custo de alienação do imóvel, quando há a mudança de uma instituição financeira para outra.

O consumidor que compra imóvel financiado por instituição bancária pode fazer a transferência do crédito de um banco para outro desde 2006, quando foi criada a portabilidade de crédito. O saldo devedor é quitado na transferência entre as instituições.

Mas nem sempre essa transação é vantajosa para os consumidores por conta dos custos, que incluem a necessidade de fazer um novo registro de imóvel devido à transferência de credor, além dos gastos cartoriais e os impostos relativos à transferência da propriedade.

Pela nova proposta em estudo pelo CMN, o mutuário não será mais obrigado a pedir novo registro do imóvel quando fizer a portabilidade para novo credor. Uma das propostas prevê que a nova alienação seja feita apenas com uma averbação ou um termo aditivo no contrato já existente. Hoje, na Cidade do Rio, o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) custa 2% do valor venal do imóvel residencial.

 Pelas regras atuais, trocar de um banco para outro fica mais caro

Diretor-executivo de Estudos Financeiros da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), Miguel Ribeiro de Oliveira diz que, em tempos de redução de juros, vale a pena a trocar dívida imobiliária.

“Quem fez um financiamento nos últimos 12 ou 24 meses certamente deve ter financiado com juros médios de 12% ao ano. Hoje, as instituições financiam com taxas de 8%. Portanto, a portabilidade é vantajosa”, diz Oliveira.

O economista lembra, no entanto, que fazer a transferência do crédito imobiliário não é tão simples com as regras atuais. “A nova instituição terá que fazer a avaliação do imóvel, há o registro do imóvel e despesas cartoriais. Tudo isso tem um custo”, alerta.

Em um imóvel de R$ 300 mil, o ITBI sairia a Rmil, mais R$ 250 de taxa de engenharia, averbação de R$ 210,49 e R$ 765,17 no novo registro. O mutuário teria que desembolsar, de uma só vez, R$ 7.225,66 para fazer a portabilidade.

Fonte:  Jornal O Dia

Comentários desativados em Crédito imobiliário poderá ser levado para outro banco.
setembro 24

Primeiro prédio do Noroeste será inaugurado em 15 dias.


24 de setembro de 2012 às 9:48
Categoria: Mercado , Sustentabilidade
Publicado por: admin

Primeiro prédio do Noroeste será inaugurado em 15 dias. Outros nove serão entregues até o fim do ano. Obras de infraestrutura ainda estão em andamento, mas o bairro já mudou a cara da região norte do Plano Piloto.

Vista geral do Setor Noroeste, que tem hoje 40 prédios em construção: 25% da primeira etapa do bairro estarão prontos até dezembro e o restante das áreas ainda serão licitadas pela Terracap (Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Vista geral do Setor Noroeste, que tem hoje 40 prédios em construção: 25% da primeira etapa do bairro estarão prontos até dezembro e o restante das áreas ainda serão licitadas pela Terracap.

Em duas semanas será inaugurado o primeiro prédio do Setor Noroeste, o mais novo bairro do Distrito Federal. A expectativa da Companhia Imobiliária de Brasília (Terracap) é que os apartamentos comecem a ser ocupados no início de novembro. De acordo com a Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), 10 empreendimentos, de um total de 40 em construção, estarão prontos para a moradia até o fim o ano. Os apartamentos já possuem água encanada e iluminação, mas o que não falta no Noroeste são obras a serem concluídas.
Às vésperas de os compradores de imóveis começarem a ocupar o setor, a movimentação no local ainda é de retroescavadeiras, caminhões de terra e operários da construção civil. “Queremos terminar as obras básicas de infraestrutura antes do período de chuvas. Em dezembro, só o sistema de drenagem não estará concluído”, afirma Albatênio Granja, gerente de projetos do Noroeste da Terracap. Os novos apartamentos já possuem luz elétrica e água encanada, e a iluminação pública começou a ser instalada esta semana pela Companhia Energética de Brasília (CEB). A via de acesso ao novo bairro está pronta, mas faltam pistas de ligação entre os blocos.

“Tivemos que fazer a pavimentação da garagem externa. Se esperássemos a Terracap, não conseguiríamos terminar no prazo”, conta o engenheiro Antônio Chagas, responsável por um empreendimento com previsão de inauguração daqui a 15 dias. Atualmente, os operários travam uma batalha para manterem limpas as vidraças e azulejos do prédio que é bombardeado por nuvens de poeira levantadas pelos caminhões que cortam as vias sem pavimentação. “Já terminamos o acabamento, estamos apenas ajustando os detalhes”, explica o engenheiro do futuro Bloco E da Quadra 110 do Noroeste. Faltam ainda alguns serviços básicos, como poda do mato.

Apesar dos atrasos, o presidente da Ademi-DF, Adalberto Cleber Valadão, acredita que o andamento das obras de infra estrutura não vão atrapalhar a conclusão do bairro. “Demorou, mas está andando agora e acredito que a Terracap concluirá as obras no prazo estabelecido (dezembro deste ano)”, afirma Valadão. A Terracap estima que os gastos com a infraestrutura do Noroeste passarão dos R$ 400 milhões. “O primeiro orçamento era de R$ 150 milhões, mas de lá para cá muita coisa mudou e os gastos aumentaram”, afirma Albatênio.

Ainda serão realizadas obras para manter o Noroeste após a inauguração.“ Estamos construindo um bairro novo, quase uma cidade, não é só um prédio”, explicão gerente de projetos. A estação da CEB do Sudoeste será reforça da para atender o novo bairro. Além disso, dois reservatórios de água estão sendo construídos pela Caesb e a estação elevatória de esgoto da 416 Norte está sendo ampliada para comportar o aumento do volume de resíduos. Só a Caesb prevê o gasto de R$ 20,8 milhões no novo setor habitacional. Quando estiver totalmente concluído, o Noroeste terá 220 prédios residenciais, com seis andares, e 150 comerciais com três pavimentos.

Por Gabriella Furquim

Fonte: Correio Braziliense

Comentários desativados em Primeiro prédio do Noroeste será inaugurado em 15 dias.
setembro 21

Último quadrimestre será positivo para o setor imobiliário, diz especialista.


21 de setembro de 2012 às 11:40
Categoria: Mercado
Publicado por: admin

Equilíbrio e crescimento sustentado resumem os rumos do mercado nos próximos meses.

Segundo o especialista em Gestão Empresarial,Guilherme Machado, a expectativa é de que as construtoras e incorporadoras voltem a lançar novos empreendimentos que tendem a estar  cada vez mais personalizados de acordo com o perfil do futuro comprador e da região.

Outro fator que ficará ainda mais evidente, não só neste final de ano, mas para próximos meses é o equilíbrio e um crescimento cada vez mais sustentado do setor. “Não será difícil perceber uma estabilização dos preços dos imóveis. Em um cenário dinâmico como o nosso, nenhum preço se mantém alto demais ou baixo ao extremo durante um longo período, pois o próprio comportamento do mercado trata de harmonizar estas variações,” explica Machado, em seu blog.

Mercado amadurecido

Já é perceptível no mercado uma desaceleração nas vendas, que se perpetuará nos próximos meses. “Continuamos com um aquecimento nas vendas, mas em um ritmo diferente do que há seis anos, quando o que se lançava era vendido em um prazo muito  curto. No entanto, o planejamento das ações nesta época era quase inexistente.Hoje, vivemos um mercado mais maduro e consciente e por isso, o planejamento e a execução do mesmo ganham cada vez mais relevância”.

Integra-se ainda a esse caminho de equilíbrio uma gestão imobiliária mais criteriosa. “A política de crédito no Brasil é mais rigorosa, se comparada a outros países. A crise gerada pela bolha imobiliária nos Estados Unidos ligou o botão de alerta no mundo todo e o Brasil, que já praticava uma política diferente da dos americanos, ficou ainda mais atento a esta ameaça” ressalta o especialista.

Estamos diante de um mercado altamente promissor, que cada vez mais dá sinais de sua força e revela seus importantes avanços. Temos que direcionar a nossa percepção para potencializarmos este momento favorável de forma planejada e estratégica.

Fonte:  Redimob
Comentários desativados em Último quadrimestre será positivo para o setor imobiliário, diz especialista.
setembro 20

Mulheres conquistam espaço de destaque no mercado imobiliário.


20 de setembro de 2012 às 9:54
Categoria: Gestão de Qualidade , Lar , Mercado , Responsabilidade Social
Publicado por: admin

Dinâmicas, sensíveis, capazes de gerir várias atividades concomitantes.  Essas são algumas das características que estão dando às mulheres cada  vez mais espaço no mercado de trabalho, inclusive em atividades até há  pouco tempo dominadas pelos homens, como a corretagem imobiliária.  Pesquisa divulgada recentemente pelo Conselho Federal dos Corretores de  Imóveis (Cofeci) aponta que elas já representam 32,7% dos 280 mil  corretores no país.

A presença feminina no setor imobiliário  cresceu 144% na última década, segundo estimativa do Cofeci.

Fonte: O Diário.com

Comentários desativados em Mulheres conquistam espaço de destaque no mercado imobiliário.
setembro 11

Pequenos, mas de grande valor.


11 de setembro de 2012 às 17:21
Categoria: Mercado
Publicado por: admin

Comprar imóveis compactos – de até dois quartos – com a finalidade de alugar pode ser uma alternativa para quem quer aumentar a renda. Imóveis pequenos atraem boa rentabilidade e, de quebra, ainda fortalecem com solidez e segurança o patrimônio do investidor.

Os apartamentos pequenos do Distrito Federal despertaram o interesse de investidores de todo o Brasil e até de outros países. A alta probabilidade de um bom retorno financeiro é o que motiva e atrai compradores

Os apartamentos pequenos do Distrito Federal despertaram o interesse de investidores de todo o Brasil e até de outros países. A alta probabilidade de um bom retorno financeiro é o que motiva e atrai compradores.

Comprar um imóvel novo é sempre um bom investimento, mesmo que não seja para uso próprio. Com o crescimento do mercado imobiliário de Brasília, o que não falta são oportunidades para conquistar a nova morada, pronta para ser ocupada. No entanto, adquirir um imóvel pequeno com a finalidade de locação para fins de investimento pode trazer bons resultados.

Os imóveis compactos são pequenos para algumas pessoas, mas podem ter o tamanho ideal para outras. Por isso, esse tipo de empreendimento se tornou alvo de investidores. Trata-se de um imóvel com preço menor e mais acessível, unidades comumente compradas para serem locadas. Jovens estudantes – muitas vezes vindo de outras cidades –, casais com um filho ou nenhum e pessoas divorciadas formam o público que geralmente busca esse tipo de imóveis, mesmo que seja para morar por pouco tempo. Sob essa ótica, é possível perceber uma das vantagens de fazer esse tipo de investimentos, segundo informações de especialistas no ramo imobiliário.

Adriano Cancian, diretor comercial da Lopes Royal, fala que o investimento torna-se positivo, primeiramente, por ser tratar da aquisição de um patrimônio. O fator implica na valorização mensal da propriedade. Sendo assim, naturalmente a rentabilidade aumenta e ainda garante a valorização do imóvel. Para o diretor, não há retorno financeiro mais seguro do que investir nesse tipo de empreendimento. “Além da rentabilidade que o imóvel propicia com o aluguel, você monta um patrimônio e isso vai perdurar a vida inteira”, afirma o diretor.

Região favorável
Em Brasília, o retorno é ainda maior em relação às outras grandes cidades por se tratar de uma região que possui muitas pessoas de fora. Essa característica é positiva dentro da perspectiva de locação de imóveis. Adriano Cancian explica que, devido aos fatores atrelados à chegada de novos moradores, o ramo de locação aumenta e são nas menores unidades que surgem maiores possibilidades de retorno maior.

Para quem pretende comprar um imóvel para essa finalidade, Cancian aconselha tomar algumas precauções necessárias para evitar tais problemas que possam surgir. O comprador do imóvel deve ficar atento com alguns critérios na hora da compra. De início, é importante analisar a localização do imóvel, verificar a acessibilidade e o que o local oferece de comércio, por exemplo. Em seguida, ficar ciente quanto à organização de estrutura do imóvel, tempo de entrega, conhecer a estrutura de acabamento e saber se atende às necessidades da compra.

 

Adriano Cancian, diretor comercial da Lopes Royal, lembra que a aquisição de um imóvel é bastante positiva ao patrimônio

Adriano Cancian, diretor comercial da Lopes Royal, lembra que a aquisição de um imóvel é bastante positiva ao patrimônio

No caso de quem pretende locar, também existem precauções que devem ser seguidas.

Primeiramente, deve-se ter a noção de que o imóvel atende às necessidades de moradia, bem como analisar se o valor do aluguel pode ser ajustado dentro do orçamento disponível, se a localização favorece naquele momento de precisão, entre outros cuidados. O diretor comercial alerta a importância de fazer uma planejamento, no caso de quem pretende alugar. “ O locatário tem que saber para quem vai alugar e por quanto tempo; se é para estudar ou para ficar perto do trabalho, são coisas necessárias de serem analisadas”, aconselha.

O investidor sempre deve ficar atento às demandas do mercado. Conhecer as ofertas de imóveis na região faz parte do processo de investimento e o planejamento é fundamental para não correr riscos de retorno negativo com a compra do imóvel. Para todo investimento existe um risco, mas se tratando de imóveis, a margem é menor, uma vez que a compra do bem fortalece o patrimônio da família e por maior que seja a dificuldade de alugar, o imóvel não perde a valorização do mercado imobiliário.

 

A tendência dos mini-imóveis

 A vantagem de comprar imóveis pequenos para locação, conforme dito anteriormente, está na facilidade de atrair boa rentabilidade, o que acontece em menor frequência com imóveis maiores. O valor dos aluguéis dos compactos de até dois quartos e quitinetes, por exemplo, facilita a vida de quem busca um aluguel barato e garante bom retorno financeiro.

Bruno Cesar, diretor de vendas da Faenge, fortalece a ideia de que a compra dos “mini-imóveis” torna-se um ótimo investimento. Ele assegura a possibilidade de o investidor contar com a composição de duas fontes de remuneração de seu capital: a primeira é a receita do aluguel, variável de 0,31% a 0,40% ao mês segundo dados do Secovi-DF; e a segunda é a valorização do imóvel, que mesmo em cenários mais conservadores gira em torno de 1% ao mês. “O somatório dessas duas fontes é um retorno médio de 16% ao ano, uma ótima rentabilidade, principalmente a longo prazo, e para pessoas que valorizam a segurança e estabilidade de seu patrimônio”, assegura Bruno Cesar.

O diretor de vendas da Faenge afirma a força da tendência desse tipo de negócio em Brasília. O mercado dos pequenos imóveis possui um retorno grande de locação e por isso a rentabilidade é segura. E para isso, Bruno aponta quais são os principais atrativos favoráveis aos locatários, mas também fala dos pequenos riscos do investimento. “É preciso escolher um imóvel que tenha  determinados atrativos, itens que valorizem o bem. São vários, mas aqueles mais evidentes são uma boa localização, beleza, segurança, itens de lazer no condomínio e bons materiais de acabamento. Os riscos são mínimos, pois é do conhecimento de todos que há uma grande e crescente demanda. Entretanto, é sempre importante optar por construtoras que respeitam os prazos de entrega e possuem boa reputação no mercado”, finaliza.

Por Paula Morais 

Fonte:Jornal da Comundade

Comentários desativados em Pequenos, mas de grande valor.
Página 10 de 16««89101112»»

Facebook

Twitter

FAENGETV

Todos os Videos