setembro 20

Mulheres conquistam espaço de destaque no mercado imobiliário.


20 de setembro de 2012 às 9:54
Categoria: Gestão de Qualidade , Lar , Mercado , Responsabilidade Social
Publicado por: admin

Dinâmicas, sensíveis, capazes de gerir várias atividades concomitantes.  Essas são algumas das características que estão dando às mulheres cada  vez mais espaço no mercado de trabalho, inclusive em atividades até há  pouco tempo dominadas pelos homens, como a corretagem imobiliária.  Pesquisa divulgada recentemente pelo Conselho Federal dos Corretores de  Imóveis (Cofeci) aponta que elas já representam 32,7% dos 280 mil  corretores no país.

A presença feminina no setor imobiliário  cresceu 144% na última década, segundo estimativa do Cofeci.

Fonte: O Diário.com

Comentários desativados em Mulheres conquistam espaço de destaque no mercado imobiliário.
setembro 05

Faenge faz visita técnica a construção do Estádio Nacional de Brasília.


5 de setembro de 2012 às 16:13
Categoria: Gestão de Qualidade , Mercado
Publicado por: admin

Equipe  de engenheiros e arquitetos da FAENGE fez hoje uma  visita técnica ao Estádio Nacional de Brasília para conhecer o processo de construção e acompanhar a evolução da obra.

O estádio começou a ser construído em julho de 2010. A previsão é que a obra seja concluída em dezembro deste ano. Com  uma área de 1,6 milhão de metros quadrados e capacidade para cerca de 70 mil pessoas. A arena vai receber a abertura da Copa das Confederações no próximo ano e sete partidas da Copa Mundo de 2014.

A Construção segue a todo vapor cumprindo o cronograma para receber grandes eventos esportivos.

Comentários desativados em Faenge faz visita técnica a construção do Estádio Nacional de Brasília.
agosto 06

Fazendo a diferença por um futuro melhor.


6 de agosto de 2012 às 9:11
Categoria: Gestão de Qualidade , Institucional , Responsabilidade Social , Sustentabilidade
Publicado por: admin

Comentários desativados em Fazendo a diferença por um futuro melhor.
julho 20

Fotos da 25ª formatura das turmas de trabalhadores da construção civil.


20 de julho de 2012 às 9:47
Categoria: Gestão de Qualidade , Responsabilidade Social , Sustentabilidade
Publicado por: admin

A  FAENGE teve 34 dos 75 alunos formandos dos  75 funcionários das construtoras do DF  que receberam da Secretaria de Educação o diploma  de conclusão dos cursos.

O projeto Alfabetização e Cidadania com os Trabalhadores da Construção Civil é uma parceria entre o Serviço Social do Distrito Federal (Seconci-DF) e a Secretaria de Educação, que certifica os cursos de alfabetização e ensino fundamental. O evento contou com a participação do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. “Vocês estão no caminho certo. Por isso, faço questão de estar aqui para compartilhar esta alegria. A meta do nosso governo até 2014 é erradicar o analfabetismo no DF.

Mas não fazemos isso sozinhos. É preciso contar com as parcerias que já estamos realizando”, disse o governador Agnelo Queiroz na noite da Formatura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários desativados em Fotos da 25ª formatura das turmas de trabalhadores da construção civil.
julho 16

Por uma sociedade mais humanitária.


16 de julho de 2012 às 9:00
Categoria: Gestão de Qualidade , Responsabilidade Social
Publicado por: admin

Responsabilidade socioambiental é o novo valor competitivo do mercado imobiliário. O conceito também traduz o papel dos empresários do setor na construção de uma sociedade mais justa e ecologicamente correta.

A Faenge é um exemplo de empresa da construção civil que fomenta o esporte: equipe de corrida Bora Bora é patrocinada pela construtora e disputa diversos torneios

Na competição estabelecida no mercado da construção civil, é preciso compreender o verdadeiro sentido do termo responsabilidade socioambiental. Na maioria das vezes, muitos resumem o conceito a doações a entidades ou comunidades carentes, bem como o apoio a alguma causa social e sustentável. O significado, contudo, é mais amplo do que muita gente pensa. Está firmado em princípio e valores éticos que envolvem toda a sociedade e não apenas uma comunidade isolada.

A adesão de práticas sociais e ambientais atinge também o campo de competitividade e sobrevivência das construtoras. “O nosso desafio é melhorar a qualidade de vida de seus clientes e colaboradores. Há também a preocupação com a comunidade que está à nossa volta”, conta Evandro Bueno de Oliveira, gerente comercial da construtora e incorporadora Faenge.

A responsabilidade social pode e deve ser praticada por todos, com simples ou grandes ações no dia a dia e, principalmente, mantendo uma conduta ética nas relações. “Nosso ponto de partida para qualquer tipo de prestação de serviço é a ética, a transparência no contato com clientes, fornecedores e na construção de parcerias. A utilização de programas licenciados para elaboração dos nossos projetos, a emissão de notas fiscais para todo serviço desenvolvido e a prática de princípios que respeitem o meio ambiente, norteiam a gestão do escritório evidenciando o respeito aos bons princípios sociais”, explica o arquiteto Paulo Cabral, da Latitude Engenharia, acompanhado pelo colega Alexandre Rocha.

Todos devem contribuir
A responsabilidade social em empresas de construção civil envolve desde as leis específicas de segurança do trabalho e saúde do trabalhador até normas internacionais de conduta empresarial responsável, englobando, portanto, um amplo espectro de atividades. “A TecPro Engenharia, visando manter-se entre o grupo de empresas que valorizam o capital humano e preocupam-se em se inserir na sociedade como um agente de mudança positiva, tem por política prioritária e inegociável cumprir rigorosamente todas as leis de segurança e saúde de seus funcionários. Além disso, nos mantemos atentos às normas brasileiras que regulamentam as condições de ambiente laboral”, argumenta Malú Guido, diretora executiva da TecPro Engenharia.

Bueno diz que o desafio da empresa é melhorar a qualidade de vida da sociedade

Bueno diz que o desafio da empresa é melhorar a qualidade de vida da sociedade.

A Faenge, por sua vez, promove trabalhos de alfabetização e capacitação dos trabalhadores da construção civil dentro do canteiro de obras. Além disso, disponibiliza salas de aula para os colaboradores que não puderam estudar: são três turmas de alfabetização que somam 52 trabalhadores matriculados. “A valorização dos profissionais é tratada como fundamental para que eles se sintam com a merecida importância que possuem”, destaca Evandro.

A construtora investe em projetos que resultem em melhorias sociais, como o incentivo à prática de esportes. A Faenge patrocina a equipe de corrida Bora Bora, e, recentemente, promoveu uma maratona pelo aniversário de Brasília. “Eventos de futevôlei e futebol de areia também têm nosso apoio”, conta Bueno.

Mais acessibilidade
Nada melhor do que poder desfrutar da liberdade e do conforto de casa. Ter condições de locomoção para qualquer lugar é um desejo e um direito de todos, principalmente aos que possuem necessidades especiais, como os cadeirantes. O lar é um ambiente no qual cada um estabelece suas precisões e impõe sua identidade.

Estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que no Brasil há mais de 28 milhões de pessoas com deficiência e 9.300 cadeirantes, ou seja, uma parcela considerável da população. Mesmo assim, ainda é muito difícil encontrar lugares adaptados ou próprios para essas pessoas. “Desta forma, temos elaborado projetos que incluem, dependendo da necessidade específica e do interesse do cliente, além das rampas e portas com dimensões que permitem o trânsito de cadeirantes, por exemplo, plataformas e elevadores para as residências com mais de um pavimento, e banheiros detalhados para o atendimento de uma pessoa com deficiência permanente ou temporária”, especifica o arquiteto Alexandre Rocha.

Oferecer acessibilidade nas residências nada mais é que tornar possível o direito de ir e vir. Desta forma, o lar se torna um ambiente seguro, confortável e apto a um cadeirante. “Acessibilidade é uma preocupação que temos. Em nossos lançamentos temos sempre esse cuidado. O Square Home & Shop, no Noroeste, é um exemplo de empreendimento que respeita as normas de acesso, segurança e respeito”, destaca Evandro Bueno.

Malú Guido, da TecPro, explica que a atual normatização brasileira para acessibilidade a portadores de necessidades especiais é bastante completa. “Nas administrações regionais os projetos de arquitetura não são aprovados caso não contemplem esses aspectos ou não obedeçam às normas. As cartas de habite-se também não são liberadas nesses casos”, aponta.

Por    TATIANE ALVES
Redação Jornal da Comunidade

Comentários desativados em Por uma sociedade mais humanitária.
julho 09

Responsabilidades das empresas.


9 de julho de 2012 às 8:21
Categoria: Gestão de Qualidade , Mercado
Publicado por: admin

Antes de comprar imóvel, cliente deve ficar atento às obrigações legais das construtoras e das imobiliárias. Cada uma faz o seu papel para garantir que seus clientes tenham qualidade de vida.

O diretor de vendas da Faenge, Bruno César, aponta a intermediação como a principal função desempenhada pela imobiliária
Foto: Toninho Tavares

O diretor de vendas da Faenge, Bruno César, aponta a intermediação como a principal função desempenhada pela imobiliáriaEscolher um novo imóvel não parece ser tarefa muito fácil. É preciso um pouco de dedicação, tempo e sensibilidade para encontrar algo que possa satisfazer às necessidades da família. Porém, além de buscar algo compatível com a demanda pela moradia, existem outros aspectos fundamentais e de grande utilidade que precisam ser esclarecidos, como, por exemplo, conhecer as competências das construtoras e das imobiliárias.

O mercado imobiliário e da construção civil cresceu de maneira rápida e forte em Brasília. Em quase todas as regiões é possível notar um novo empreendimento em construção. O que não falta são ofertas de imóveis, cada um com um perfil diferente pronto para atender às necessidades de quem busca um novo lar. Contudo, vale ressaltar as responsabilidades das construtoras e das imobiliárias para que não haja desconforto algum na hora da negociação.

Tanto a construtora como a imobiliária desenvolvem atividades diferentes no empreendimento. Cada uma delas se responsabiliza por aspectos provenientes do imóvel. Para cada característica existe uma delegação própria, seja da construtora, seja da imobiliária. São atividades que vale à pena tomar conhecimento para que não haja dúvidas.
No que cabe às construtoras, as atividades desenvolvidas por elas remetem ao processo de construção em si e até mesmo a fatores que venham a ocorrer após o recebimento da chave. O proprietário precisa atentar para as responsabilidades da construtora em relação ao empreendimento e ter a certeza de que elas devem ser cumpridas de acordo com o memorial descritivo.
O papel das construtoras

Maria Luísa Guido, diretora executiva da Tecpro Engenharia, fala das atividades que devem ser desenvolvidas pelas construtoras. Dentre elas, destaca as que estão descritas e registradas no memorial de incorporação. No documento é possível saber informações do imóvel sobre as condições de acabamento, equipamentos de segurança, equipamentos da área comum etc.

“Poucos clientes se preocupam em verificar este memorial, mas é ele que descreve o que e como o imóvel será entregue. Este conjunto de documentos é que define o produto a ser entregue e a responsabilidade da construtora.” comenta a diretora executiva.

Um elo entre mercado e cliente Bruno César, diretor de vendas da Faenge Empreendimentos, explica que, dentre as atividades de competência da imobiliária, está a intermediação. Ele fala que a responsabilidade da imobiliária é pegar todas as informações que a construtora tem e passar da forma mais clara para o cliente. Assim, deixa tudo esclarecido. A imobiliária também assessora o cliente quando ocorrem possíveis problemas.

“Nós podemos fazer a intermediação de possíveis conflitos que venham a acontecer entre o cliente e a construtora. Ajudamos a captar o problema do cliente, buscamos saber quais são as queixas e como a construtora poderia atuar para tentar resolver e levamos as informações para as construtoras. Nós não temos autonomia para resolver nada, mas podemos fazer esse contato entre as duas partes e tentar encontrar uma solução”, explica Bruno.

O diretor de vendas da Faenge empreendimentos chama a atenção para a regularidade da imobiliária e dos corretores. Ele ressalta a importância de os clientes ficarem atentos para que, em caso de eventuais problemas, possam ter seus direitos assegurados. Quanto à regularização, todas as imobiliárias devem estar registradas no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) e com esse registro, se ocorrer qualquer problema em alguma venda ou situação entre a imobiliária e o cliente, este pode inclusive fazer a denúncia junto ao Creci.
Funciona como uma espécie de mecanismo de regularização. Esse mesmo contato e cuidado devem ser levados em consideração quando se fala em construtoras.

POR PAULA MORAIS
Redação Jornal da Comunidade

 

Comentários desativados em Responsabilidades das empresas.
maio 23

Brasil está entres os líderes em construções sustentáveis.


23 de maio de 2012 às 12:42
Categoria: Gestão de Qualidade , Responsabilidade Social , Sustentabilidade
Publicado por: admin

De acordo com o órgão internacional Green Building Council (US GBC), o Brasil já ocupa a quarta posição no ranking mundial de construções sustentáveis. O primeiro prédio sustentável brasileiro foi registrado em 2004. O conceito começou a ganhar força, porém, a partir de 2007, afirma o gerente técnico do GBC Brasil, Marcos Casado. De 2007 até abril de 2012, o Brasil registra um total de 526 empreendimentos sustentáveis, sendo 52 certificados e 474 em processo de certificação no US GBC. Até 2007, eram apenas oito projetos brasileiros certificados. O ranking mundial é liderado pelos Estados Unidos, com um total de 40.262 construções sustentáveis, seguido pela China, com 869, e os Emirados Árabes Unidos, com 767.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção está em sintonia com este novo cenário. Desde 2009, desenvolve o Programa Construção Sustentável (PCS). O programa é uma proposta de convergência e diálogo que visa aperfeiçoar e compartilhar soluções, mostrando à sociedade brasileira que esse caminho é mais do que viável: é inevitável.

O PCS aborda temas como água; desenvolvimento humano; energia; materiais e sistemas; meio ambiente, infraestrutura e desenvolvimento urbano; mudanças climáticas, e resíduos. O presidente da CBIC, Paulo Simão, explica que a entidade decidiu formular junto a vários atores de diferentes segmentos uma ampla proposta para apresentar ao Poder Público e à sociedade brasileira caminhos para uma verdadeira mudança de paradigma na cadeia produtiva da construção. “Não tenho dúvidas de que é possível viabilizar no Brasil uma indústria da construção sintonizada com os conceitos mais avançados de construção sustentável já praticados em todo o mundo”, diz Simão. Com informações da exame.com

Enviado por Suyane Macedo.

Fonte:  Portal CBIC

Comentários desativados em Brasil está entres os líderes em construções sustentáveis.
Página 5 de 512345

Facebook

Twitter

FAENGETV

Todos os Videos