agosto 29

Sustentabilidade veio para ficar na construção civil.


29 de agosto de 2013 às 14:44
Categoria: Responsabilidade Social , Sustentabilidade
Publicado por: admin

São mais de cem edificações certificadas e mais de 700 registradas em busca da certificação

A sustentabilidade veio para ficar na construção civil. O setor se destaca nos números da certificação Leadership in Energy and Environmental Design (Leed), em tradução do inglês, Liderança em Energia e Design Ambiental. Hoje, são mais de cem edificações certificadas e mais de 700 registradas em busca da certificação.

Para receber o selo, o empreendimento deve cumprir quesitos visando à redução dos impactos ambientais: uso racional de água, eficiência energética, espaço sustentável, qualidade ambiental interna, materiais e recursos, e inovações e tecnologias.

Desde o início do ano, foram mais de 90 registros brasileiros em busca da certificação.

 Para o Green Building Council Brasil (GBC Brasil), organização não governamental que fomenta o setor no país e promove a certificação, a adoção de práticas sustentáveis em edificações comerciais e residenciais traz benefícios econômicos.

 Empreendimentos sustentáveis custam de 1% a 7% mais do que uma construção comum, mas têm seu custo operacional reduzido de 8% a 9% e valorização de 10% a 20% no preço de venda – afirma o diretor técnico e educacional do GBC Brasil, Marcos Casado.

 Gasto de água pode cair em até 50%

O país se destaca no cenário mundial, mas ainda não explora todo o seu potencial. Conforme Marcos, o Brasil lidera o número de registros em busca da certificação na América Latina e ocupa a quarta colocação no ranking mundial, atrás dos Estados Unidos, China e Emirados Árabes. Ainda assim, há muito a ser melhorado.

O fato é que os benefícios permanecem ao longo da vida útil da construção e trazem conforto aos ocupantes.

A indústria da construção civil consome 21% de toda a água tratada do planeta. Por isso, as edificações que conquistam o selo Leed podem reduzir o gasto de água em até 50%. O resultado surge da adoção de medidas como torneiras inteligentes, descargas de duplo acionamento e reaproveitamento da água da chuva.

A certificação também proporciona redução de 30% no consumo de energia, de 80% dos resíduos sólidos e de até 35% nas emissões de gases de efeito estufa.

 Outro aspecto essencial a ser considerado é que os prédios “verdes” devem oferecer conforto e bem-estar aos ocupantes. No caso das edificações comerciais, essa característica pode implicar também no aumento da produtividade dos funcionários.

 Até o final de 2013, a expectativa é de que 120 empreendimentos recebam a certificação e outros 900 sejam registrados.

 Mais de 50% dos registros são de escritórios e edificações comerciais, mas um volume expressivo de indústrias, shoppings, escolas, bancos e hospitais busca o selo.

 Sistema de classificação

Selo Leed

 – Construções com pontuação entre 40 e 49 na avaliação

 Selo Leed Silver (prata)

 – De 50 a 59 pontos

 Selo Leed Gold (ouro)

– De 60 a 79 pontos

 Selo Leed Platinum (platina)

 – Nível máximo, de 80 a 110 pontos

Fonte: Diário Gaúcho

Os comentários são fechados.

Facebook

Twitter

FAENGETV

Todos os Videos