dezembro 03

13º salário pode ser alternativa para regularizar débitos com imóveis.


3 de dezembro de 2012 às 7:53
Categoria: Mercado
Publicado por: admin

Especialista explica como usar o décimo terceiro para regularizar débitos com imóveis ou abater juros das parcelas.

Até o final de novembro as empresas devem pagar a primeira parcela do 13º salário aos trabalhadores. Para os consumidores que ainda não sabem o que fazer com o dinheiro extra, a dica é aproveitá-lo para regularizar débitos com imóveis.

A primeira parcela do 13º salário pode ser usada para pagar as prestações em atraso do imóvel, adiantar as parcelas ou até mesmo dar entrada em um financiamento imobiliário.

Para a AMSPA (Associação dos Mutuários de São Paulo e Adjacências), antes de definir como usar o abono de fim de ano, é importante avaliar qual é o melhor investimento.

“Há várias opções de como investir o 13° salário, contudo é essencial ter cautela. Nesses casos, é essencial reunir a família e colocar as contas na ponta do lápis e definir qual é a melhor solução, o que inclui avaliar o custo/benefício”, explica o presidente da AMSPA, Marco Aurélio Luz.

Segundo Luz, quem pretende pagar as prestações que estão para vencer fará uma boa escolha.

“Usar a gratificação de Natal na amortização antecipada reduzirá o saldo devedor e consequentemente provocará o recálculo da prestação e com isso diminuirá as parcelas futuras”, afirma.

Já se o valor for usado para quitar o financiamento, o ideal é negociar com a financeira e pedir um desconto do valor ou para abater os juros.

Outra opção é usar o dinheiro extra para pagar as parcelas atrasadas e com isso evitar a perda da casa própria.

No SFH  (Sistema Financeiro da Habitação), após a falta de pagamento de três prestações, o dono do imóvel é notificado por escrito. Se não quitar o débito pode perder o bem, mas é possível recorrer à Justiça.

Já no SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), se o atraso for superior a 30 dias, o mutuário é intimado a pagar via Cartório de Registro de Imóveis. Caso não o faça no prazo de 15 dias, o banco terá a posse do bem e o levará a leilão extrajudicial, onde o comprador não tem direito a qualquer defesa.

Sonho da casa própria

Para quem ainda não possui um imóvel, o 13º salário pode servir para dar de entrada na compra da tão sonhada casa própria.

“O dinheiro extra, junto com as economias, caso haja, pode ser útil na diminuição do valor do financiamento. Mas é preciso tomar cuidado com as artimanhas das construtoras que utilizam vários meios para tentar fechar o contrato. Por isso, é fundamental avaliar com calma, porque em muitos casos o compromisso de pagar as parcelas chega até 30 anos”, esclarece Luz.

Luz também ressalta que em casos de compra de imóvel na planta, o valor da entrada deve ser menor que de um bem pronto, pois é uma forma de se proteger de possíveis atrasos da obra.

Antes de fechar o negócio, é necessário tomar alguns cuidados para evitar a inadimplência. Peça uma planilha do banco com a projeção de todas as parcelas do financiamento, incluindo as taxas extras e os seguros, inclusos na prestação.

Coloque todas as despesas no papel e, junto com a família, verifique se as prestações não vão comprometer mais do que 30% da renda familiar.

Os comentários são fechados.

Facebook

Twitter

FAENGETV

Todos os Videos