outubro 22

Empresários apostam no SIA como vetor de crescimento.


22 de outubro de 2012 às 9:08
Categoria: Institucional , Mercado
Publicado por: admin

Criado antes mesmo da inauguração de Brasília, o Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) surgiu, em 1963, como uma área  para o Armazenamento de materiais de construção das empresas que chegavam para erguer a nova capital. Instaladas de forma improvisada,  muitas cresceram e criaram raízes.

Dominada pelo segmento industrial, a região se desenvolveu e, em 2005, pelo Decreto nº 3618, foi constituída como a Região Administrativa XXIX, ganhando novos limites territoriais.

sia vista SIAVista aérea do Setor de Indústria e Abastecimento do Distrito Federal  (Foto: Agência Brasília)

A revitalização do bairro, a criação da Cidade do Automóvel e as melhorias nas vias de acesso também têm ajudado a mudar a maneira como o local é visto pelos brasilienses. Segundo a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), o SIA é responsável por 56% da arrecadação de ICMS do DF e abriga mais de 100 mil trabalhadores e 5 mil indústrias. Com  o crescimento de Brasília, o Setor começa a ser visto pelo mercado  imobiliário como um promissor vetor de crescimento na área de empreendimentos comerciais.

Grandes empresas apostam no local como um centro de convergência, projetando salas comerciais, lajes corporativas, lojas e, ainda, opções de lazer e gastronomia em um só lugar.

Todos os dias, aproximadamente 300 mil pessoas circulam pelo SIA, e a preocupação em oferecer serviços de excelência também inclui a necessidade de estacionamentos amplos e bem equipados. Além disso,  com a promessa de novos investimentos no local, empresários do setor imobiliário preveem, para muito  breve, a prestação de serviços antes inexistentes na região, tais como academias e centros de lazer.

A localização também é uma das vantagens do SIA – próximo às regiões  do Guará e Parksul e no caminho de  Águas Claras e Taguatinga. Pelo Setor
de Indústria e Abastecimento, é possível também ter acesso às principais vias da cidade, como Epia e EPTG.

Assim, a expectativa é que o polo,  antes dominado apenas pelas indústrias, seja referência de potencial de valorização, com vários segmentos e empreendimentos corporativos inovadores e de qualidade.

Um alongamento de Brasília num ponto privilegiado do Distrito Federal.

Adalberto Valadão
Presidente da Associação de Empresas do
Mercado Imobiliário do DF – ADEMI-DF

Os comentários são fechados.

Facebook

Twitter

FAENGETV

Todos os Videos