dezembro 17

Decreto para acelerar a aprovação de obras


17 de dezembro de 2011 às 11:14
Categoria: Mercado
Publicado por: admin

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF) e a Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco) recebem, nesta segunda-feira (19), para um café da manhã no Sinduscon-DF, o governador Agnelo Queiroz; o vice, Tadeu Filippelli; o secretário de Obras, Oto Silvério Guimarães Junior; e o presidente da Novacap, Juvenal Batista Amaral.

Na ocasião, Agnelo lança um novo pacote de obras públicas, que resultará em um investimento de R$ 155 milhões para a construção civil do DF. Deste montante, R$ 115 milhões serão investidos em infraestrutura/urbanização. Os outros R$ 40 milhões vão para a área de edificação. Ao todo serão anunciadas 43 empresas. Agnelo também assinará decreto para criação de um comitê emergencial de análise e aprovação de projetos.

Em evento recente na região administrativa do Itapoã, Agnelo demonstrou em seu discurso o empenho do governo em agilizar o ritmo das obras na capital federal. “Não podemos depender de tanto trâmites burocráticos, nisso eu concordo com o empresariado dos setores imobiliário e da construção civil. As aprovações receberão uma atenção especial do governo para que a roda da economia brasiliense continue girando”, prometeu.

Geraldo Magela, secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação do DF, adota discurso semelhante. No lançamento da Conferência Extraordinária das Cidades, o titular da Sedhab comentou a questão da demora na aprovação de projetos. “Há alguns impasses no Distrito Federal que travam o desenvolvimento das obras. Questões de fiscalização que não podem passar em branco, mas concordo que não estão na velocidade adequada. O Estudo de Impacto sobre a Vizinhança (EIV) e o Relatório de Impacto do Trânsito (RIT) são os exemplos mais notáveis”, disse na ocasião.

O café da manhã que o Sinduscon-DF oferecerá tem o objetivo de promover o debate entre os setores público e privado no tocante à aprovação dos projetos de obra. Um lado alega que o Detran-DF tem apenas cinco técnicos responsáveis para avaliar e aprovar as requisições relativas ao RIT, e que as administrações regionais não dispõem de pessoal devidamente qualificado para tratar do EIV.

Fonte: Jornal da Comunidade

Os comentários são fechados.

Facebook

Twitter

FAENGETV

Todos os Videos